sábado, 13 de setembro de 2014

Gritam os poetas

Gritam os poetas.
Vizinhos dos sentimentos
que deixam que as lágrimas 

chapinhem nas grades da vida
e transformam papéis em trovoadas
concebendo a paisagem 

sem repelirem o amor e a liberdade.
Alheios às trovoadas
trocam as lágrimas com os vizinhos da cela ao lado
sem fingir que o mundo é efémero.


Bela é a poesia que não encarcera os poetas
que riem,
amam,
e lutam a cada grito da natureza.


JFV