quinta-feira, 18 de julho de 2013

PRECIPÍCIO



Pintura-Katie Black

A ausência que não cabe numa janela,
fez com que costurasse uma cortina nos olhos
e falasse com o que ainda há de mim.

A ausência que não cabe no lenço encharcado
de lágrimas que se inventam
quando o imenso tempo de insónia
esgota a existência.

(Pensava eu que a existência era só não fechar as cortinas dos olhos.)

Um choque, um espasmo, a escuridão.
Toda uma imaginação moribunda
que humedece o calor que temos por dentro.

A ausência que não tem conquistadores nem conquistados,
somente o nada que é o vazio,
e a transparência da cortina em carne crua
deixando ver no horizonte os instantes lentos
e enigmáticos da dor e do ódio
criando um precipício vertiginoso de eternidade.