segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Poeta do olhar





Para a amiga e fotógrafa Lina Madeira
Foto_Lina Madeira


Há poetas que captam a vida com o olhar.
Uma flor em liberdade sai-lhe dos olhos,
uma onda que canta na rebentação
apura-lhe os sentidos.

O dia,
a noite,
o homem que não se recusa a olhar o mundo
nem que esteja preso na ilusão da tragédia,
prolonga a esperança que o olhar tem
sem fingir sentimentos ou rotinas.

O poeta do olhar
habita no meio das estrelas,
divide o céu ao meio,
sopra as nuvens,
vive para além do infinito,
ama o que vê e o que sente
e regista na máquina e no coração.

As fotografias falam no silêncio e nada ocultam,
são como crianças que abrem a imaginação
com o mesmo entusiasmo com que o poeta do olhar
reinventa a vida!

JFV
28/01/2017