quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Bela é a noite que te recolho


Bela é a noite que te recolho,

depois de um sonho tão preciso.

Entraste nele e disseste:

Este é o meu refúgio,

o meu ancoradouro.

O meu sono é o mar

do teu amor vagabundo.

O teu barco são os meus olhos,

O teu mar as minhas lágrimas.

Volto a sonhar

o quanto é bela a noite que te recolho.

Chegas,

e instalas o medo

de ao acordar

já não ser o teu mar,

somente um aquário

onde não cabem os olhos,

e as lágrimas são enigmas.

Separei

as ondas da tua existência

ao acordar.

22/02/2010

JFV