quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

ENSAIO






 ALEXANDER TIKHOMIROV theater



ENSAIO


Se me chamarem
e não responder
estarei do outro lado
da aventura
entre partos
de teatro e de retratos.

Numa sala de ensaio
ou numa moldura
encontrarão a placenta
das vozes e das poses.

Alimento personagens
que saciam a vontade ocasional
de ter um sentir oculto.
Por vezes a fome de lhes dar vida
torna-se em impaciência inimaginável
de homens e mulheres doidos
que simbolicamente fogem de mim
para a natureza
do que é verdade ou mentira.

Ensaio vidas alheias,
umas batem-me
outras beijam-me
e em todas sou feliz.

Até abrir o pano
ou que a luz se acenda,
estarei do outro lado da aventura.
Até lá,
o meu corpo e mente
estarão entre o parto e o retrato
preso numa espécie de encantamento.

Quando soar a palavra merda,
saibam que foram águas que rebentaram.
Serei pai ou mãe de actos assumidos.
Para o bem e para o mal
serei o fazedor de vida onde habitam
os meus nervos.

Todas as palavras que não me pertencem
é uma peça que oscila
entre vidas que me ultrapassam,
entre elas a minha.
Imagens representando
na barriga da terra.
Minha mãe de prazeres.

JFV

10 de Abril de 2012