segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

CLARidade







Desceste na noite.
Atraíste a lua cheia até à cama.
(ou foi a minguante?)
Desnudaram-se
Surgiram borboletas
Entoando:
- Salve, salve…vamos procurar o sol.

Os amores ficam perplexos se não existir CLARidade.
Nem forem abençoados por Vénus.

Desceste na noite,
Para ele, ela, nós, vós…
E na cAlma o encontro é contigo mesmo.
-Salve, salve…snifei pólen.
Posso voar.

A tua nudez é hoje uma borboleta
Pousada na cama
Indiferente à lua
Protagonista do sol-dos-corpos.


JFV

24/6/06