sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Vejo tristeza no sol






Vejo tristeza no sol preso a um céu
que já não é seu.
Chora um choro quente
tão de repente
...faz-se noite de dia
dentro de si
e de mim.

Somos irmãos na cobardia
de escurecermos
o que não soubemos viver.
Ontem ele ainda era rei
e eu homem.
Deixamos transparecer
a inglória de sermos
a tristeza de hoje.

Terei-eternamente-de o pôr
a acompanhar-me no céu
que não é o meu.

Amanhã
pela manhã
voltarei a chamar rei ao sol.
E a mim?

 
JFV